Casal gay é preso no Marrocos por beijo em público

Dois marroquinos que se beijaram em público foram presos, e uma espanhola foi expulsa do país, informaram autoridades marroquinas nesta quinta-feira, um dia após a ação do grupo Femen contra a criminalização da homossexualidade no Marrocos.

O ministério do Interior marroquino indicou em um comunicado que dois cidadãos do país foram presos por "exposição indecente".

No Marrocos, o artigo 489 estipula que a homossexualidade é passível de uma pena de até três anos de prisão.

Os dois homens presos beijaram-se na esplanada da Torre Hassan, que tem vista para um minarete muito simbólico de uma mesquita em Rabat, informou o site Goud.

Na quarta-feira, duas francesas do Femen protestaram mostrando seus seios e beijando-se no mesmo local.

Detidas no aeroporto de Rabat após a ação, foram expulsas para a França com a "proibição de entrar no território" marroquino.

Nesta quinta-feira, 1.500 pessoas protestaram diante da embaixada da França em Rabat para denunciar a ação das militantes francesas.

De forma pacífica, homens de todas as idades e numerosas mulheres exibiram cartazes com frases como "Abaixo Femen", "Isto em nosso país, não" ou "Não ao ataque contra os valores sagrados dos marroquinos".

O ministério do Interior informou que uma espanhola foi presa por apoiar a ação dos Femen e foi expulsa na quarta-feira.

As autoridades marroquinas também denunciaram "uma série de manobras provocativas e de assédio realizadas por organizações estrangeiras contra as leis marroquinas, o que vai de encontro aos princípios sociais e religiosos, e minam a moral".

afp_tickers

Via: swissinfo.ch


Short link: [Facebook] [Twitter] [Email] Copy - http://whoel.se/~upW5L$68r

This entry was posted in PT and tagged on by .

About FEMEN

The mission of the "FEMEN" movement is to create the most favourable conditions for the young women to join up into a social group with the general idea of the mutual support and social responsibility, helping to reveal the talents of each member of the movement.

Leave a Reply