FEMEN no Brasil «inundado» por candidaturas a activistas

Recentemente fundada, a filial brasileira do movimento feminista ucraniano FEMEN, que ganhou notoriedade pelos protestos em topless, tem recebido uma verdadeira enchente de candidaturas de mulheres dispostas a mostrar o peito para se manifestar.

Sara Winter, de 20 anos, foi a pioneira do FEMEN brasileiro, tendo sido detida em Junho, na Ucrânia, durante um protesto contra o EURO2012.

Hoje em dia, a jovem activista não tem mãos a medir com a quantidade de e-mails de mulheres dispostas a aderir ao movimento. Por semana são cerca de 100 os e-mails recebidos por Sara.

A primeira candidata foi Bruna Themis, de 21 anos, uma estudante de Direito. Tal como Sara, Bruna usa um apelido fictício para não expor a família. «Eu vi na Internet e aquilo me chamou atenção. Depois ouvi uma entrevista da Sara na rádio e mandei um e-mail me candidatando», diz Bruna, que se estreou ao lado de Sara numa acção a 29 de Julho a favor da legalização do parto em casa em frente ao Masp (Museu de Arte de São Paulo).

No passado domingo, Bruna marcou presença ao lado da escritora Vanessa de Oliveira, que se despiu numa sessão de autógrafos numa livraria em São Paulo em protesto contra a pirataria dos livros.

Agora, Bruna e Sara dividem a organização do FEMEN Brasil, tendo já aprovado 15 «recrutas» vindas de São Paulo, Minas Gerais e Brasília.

«Queremos ter mais de 200 mulheres para fazer protesto toda semana no país inteiro. Não há critério de beleza nem limite de idade», afirma Bruna.
Nascido na Ucrânia, o FEMEN conta com cerca de meio milhar de activistas em todo o mundo.

Via: diariodigital.sapo.pt


Short link: [Facebook] [Twitter] [Email] Copy - http://whoel.se/~K0mJY$1Sc

This entry was posted in PT and tagged on by .

About FEMEN

The mission of the "FEMEN" movement is to create the most favourable conditions for the young women to join up into a social group with the general idea of the mutual support and social responsibility, helping to reveal the talents of each member of the movement.

Leave a Reply