Category Archives: PT

Decisão » Tunisiana Amina deixa Femen e acusa grupo de …

Amina Sboui, a jovem ativista tunisiana que foi detida em 19 de maio durante um protesto do Femen em um cemitério. Foto: Bechir Bettaieb/ AFP PhotoA militante tunisiana Amina Sboui, colocada em liberdade no início de agosto após dois meses e meio de detenção, anunciou nesta terça-feira que deixará o grupo feminista Femen, acusado por ela de islamofobia."Não quero que meu nome seja associado a uma organização islamofóbica. Não gostei da ação na qual as meninas (do Femen) gritavam '+Amina Akbar, Femen Akbar+' (uma paródia de oração) ante a embaixada da Tunísia na França, ou quando >>>

Ativista tunisiana Amina abandona Femen por "islamofobia"

Túnis, 20 ago (EFE).- A tunisiana Amina Esbui anunciou a vários veículos de imprensa digitais que está renunciando a sua militância no movimento feminista Femen, conhecida por suas ações de protesto de mulheres com os seios à mostra, por considerá-lo "islamófobo". Amina, que está sendo julgada por "atentado ao pudor", expressou seu desejo de que seu nome não seja associado a uma "organização islamófoba", em entrevista à edição norte-africana do "Hutfington Post". A ativista, que recentemente publicou uma nova fotografia em que aparece com os seios expostos e com um coquetel molotov >>>

Amina acusa o Femen de islamofobia e anuncia saída do grupo

Líder espiritual da Irmandade Muçulmana é detido na capital egípcia Cairo (Egito), 20 ago (EFE).=. O guia espiritual da Irmandade Muçulmana, Mohammed Badia, foi detido nesta madrugada no distrito de Cidade Nasser, no Cairo, informou nesta terça-feira à Agência Efe uma fonte do Ministério do Interior. Badia foi detido em um apartamento junto a outro membro da Irmandade, Talat Youssef, nas imediações da praça de Rabea al Adauiya, onde os islamitas estiveram acampados até a operação policial da última quarta-feira, a qual gerou uma grande onda de violência no país. A detenção >>>

Ativista tunisina sai da Femen e acusa grupo de islamofobia

A ativista tunisina Amina Sboui, que esteve detida durante dois meses e foi libertada em agosto, revelou a sua intenção de deixar a Femen, acusando este grupo feminista de islamofobia.«Não quero que o meu nome esteja associado a uma organização islamófoba. Não gostei da ação em que as mulheres gritaram `Amina Akbar, Femen Akbar´ [como Allah Akbar, ou Deus é grande], em frente à embaixada da Tunísia em França, onde queimaram uma bandeira [dogma fundamental do Islão] junto à mesquita de Paris», afirmou Amina Sboui à edição magrebina do «Huffington Post». «Isto atingiu muitos >>>

Tunisiana ameaçada por ter publicado fotografias com os seios à …

A militante tunisiana Amina Sboui, colocada em liberdade no início de agosto após dois meses e meio de detenção, anunciou nesta terça-feira (20) que deixará o grupo feminista Femen, acusado por ela de islamofobia. A declaração foi feita à edição do Magreb do site de informação Huffington Post. — Não quero que meu nome seja associado a uma organização islamofóbica. Não gostei da ação na qual as meninas (do Femen) gritavam "Amina Akbar, Femen Akbar" (uma paródia de oração) ante a embaixada da Tunísia na França, ou quando queimaram a bandeira >>>

Militante tunisina deixa movimento feminista Femen

A militante tunisina Amina Sboui, libertada no início de agosto depois de dois meses e meio em detenção, anunciou hoje que vai deixar o grupo feminista Femen, acusando-o de islamofobia.«Não quero que o meu nome esteja associado a uma organização islamófoba. Não gostei da ação em que as mulheres gritaram "Amina Akbar, Femen Akbar" [como Allah Akbar, ou Deus é grande], defronte da embaixada da Tunísia em França, onde queimaram uma bandeira [dogma fundamental >>>

Tunisina deixa grupo feminista Femen, que acusa de islamofobia

"Não quero que o meu nome esteja associado a uma organização islamófoba. Não gostei da ação em que as mulheres gritaram 'Amina Akbar, Femen Akbar' [como Allah Akbar, ou Deus é grande], defronte da embaixada da Tunísia em França, onde queimaram uma bandeira [dogma fundamental do Islão] junto à mesquita de Paris", disse à edição magrebina do 'site' de informação Huffington Post. "Isto atingiu muitos muçulmanos e muitos dos meus familiares. É preciso respeitar a religião de cada um", acrescentou, de acordo com a agência noticiosa francesa AFP. Amina referia-se a duas >>>

Tunisina acusa Femen de islamofobia e deixa o movimento feminista

tunisina deixa movimento feminista Femen, que acusa de islamofobia"Não quero que o meu nome esteja associado a uma organização islamófoba. Não gostei da ação em que as mulheres gritaram 'Amina Akbar, Femen Akbar' junto à mesquita de Paris", disse à edição magrebina do "site" de informação Huffington Post."Isto atingiu muitos muçulmanos e muitos dos meus familiares. É preciso respeitar a religião de cada um", acrescentou, de acordo com a agência noticiosa francesa AFP.Amina referia-se a duas ações realizadas pela Femen, em França, para a apoiar quando se encontrava em detenção >>>

Tunisina acusa Femen de islamofobia e deixa o movimento feminista

fotoDR Amina Sbuitunisina deixa movimento feminista Femen, que acusa de islamofobia"No quero que o meu nome esteja associado a uma organizao islamfoba. No gostei da ao em que as mulheres gritaram 'Amina Akbar, Femen Akbar' [como Allah Akbar, ou Deus grande], defronte da embaixada da Tunsia em Frana, onde queimaram uma bandeira [dogma fundamental do Islo] junto mesquita de Paris", disse edio magrebina do "site" de informao Huffington Post. "Isto atingiu muitos muulmanos e muitos dos meus familiares. preciso respeitar a religio de cada um", acrescentou, de acordo com a agncia noticiosa francesa >>>

Jovem ameaçada por ter publicado fotografias com os seios à …

A militante tunisiana Amina Sboui, colocada em liberdade no início de agosto após dois meses e meio de detenção, anunciou nesta terça-feira (20) que deixará o grupo feminista Femen, acusado por ela de islamofobia. A declaração foi feita à edição do Magreb do site de informação Huffington Post. — Não quero que meu nome seja associado a uma organização islamofóbica. Não gostei da ação na qual as meninas (do Femen) gritavam "Amina Akbar, Femen Akbar" (uma paródia de oração) ante a embaixada da Tunísia na França, ou quando queimaram a bandeira >>>